Um post-scriptum aos Direitos (ou não) dos Animais

Uma amiga chamou-me à atenção, e muito bem, por uma falha na minha crónica “Sobre os Direitos (ou não) dos Animais” (http://www.animasentiens.com/index.php?option=com_content&view=article&id=232%3Asobre-os-direitos-ou-nao-dos-animais&catid=34%3Acronicas&Itemid=37&lang=pt).

Trata-se de um sequência lógica e absolutamente verdadeira à declaração de Constança Cunha e Sá, de que “os animais não têm direitos, se não têm deveres não podem ter direitos”. Não defendi os deveres que os animais realmente têm todos os dias, não entre eles, mas pior ainda perante os Homens. Elsa Tomaz chamou-me à razão, e agradeço-lhe por isso, enumerando-me uma série de deveres que os animais nos dedicam:

“Há bilhões de animais, sim, que têm deveres. Deveres que lhes foram impostos com prepotência e despotismo. Mais deveres do que muitos seres humanos alguma vez tiveram na vida.

Lembram-se dos cães-guia, que dedicam toda a sua curta existência a guiar humanos cegos ou surdos?

Cavalos que são utilizados em terapias para crianças autistas ou com outras deficiências mentais ou físicas?

Cães-polícia, cães usados em grandes cataclismos para procurar sobreviventes, cães usados para detectar droga nos aeroportos, cães usados para detectar flutuações de glicémia em diabéticos e outras doenças.

Animais usados, abusados e sacrificados em laboratórios para experiências que apenas servem o ser humano, animais mortos de formas desumanas para que as suas peles enfeitem os humanos numa moda macabra, animais usados em circos e zoológicos para entretenimento humano, animais usados para transporte, trabalho ou recreação.

Cães, gatos, macacos, elefantes, cavalos, burros, camelos, dromedários, ursos, leões-marinhos, grandes felinos como o leão, o tigre e o leopardo… todos ao serviço forçado do Homem. Já para não falar na infame indústria alimentar que massacra muitos milhões de seres diariamente para satisfazer a gula humana.

Se isto não são deveres… é o quê Constança?!”

Aqui fica este essencial post-scriptum.

AUTOR: Filomena Marta

Publicado em: 
1 Novembro, 2013
Categoria: 
321 leituras