Ruy de Carvalho

Ruy de Carvalho

De seu nome completo Ruy Alberto Rebelo Pires de Carvalho, nasceu em Lisboa em 1 de março de 1927 (88 anos) e é um actor português.

Iniciou-se no teatro em 1942 com a peça O Jogo para o Natal de Cristo, com encenação de Ribeirinho. De 1945 a 1950, frequentou o Conservatório Nacional, cujo Curso de Teatro/ Formação de Actores terminou em 1950 ,com 18 valores. Estreou-se profissionalmente, em 1947, no Teatro Nacional. Fez ainda parte de outras companhias, como a companhia de Laura Alves, a Companhia Rafael de Oliveira ou a companhia sediada no Teatro Maria Matos.

A sua actividade estendeu-se igualmente à rádio e à televisão, tendo participado, nomeadamente na RTP, no Monólogo do Vaqueiro (1957), séries e novelas. Da sua filmografia destacam-se Pássaros de Asas Cortadas, de Artur Ramos (1963), Domingo à Tarde, de António de Macedo (1965), O Cerco, de António da Cunha Telles (1969), Cântico Final, de Manuel Guimarães (1974), A Bicha de Sete Cabeças (1978), O Processo do Rei, de João Mário Grilo (1990), entre outros. Com Manoel de Oliveira deixou marca em Non ou a Vã Glória de Mandar (1990), A Caixa (1994) e O Quinto Império - Ontem Como Hoje (2004). Para além dos seus filmes como actor, Ruy de Carvalho tem emprestado a sua voz, diversas vezes, ao cinema. Participou também em numerosos teatros radiofónicos e trabalhos de dobragem de desenhos animados.

Foi Presidente do Conselho Nacional para a Política da 3.ª Idade e mandatário da campanha de candidatura de Pedro Santana Lopes à Câmara Municipal de Lisboa e da campanha de candidatura de Carmona Rodrigues à Câmara Municipal de Lisboa, em 2007.