Pulgas, felinos e insecticidas: a permetrina é tóxica para gatos

Os meses mais quentes são propícios para o desenvolvimento de parasitas externos, sendo os mais vulgares as pulgas. Muitas vezes, são uma verdadeira dor de cabeça para os donos e exigem que se trate não só a infestação dos animais, mas também a infestação do ambiente, porque as pulgas depositam milhares de ovos.

Pulgas, felinos e insecticidas: a permetrina é tóxica para gatos

É no tratamento do ambiente que começam a surgir os maiores perigos, pois os insecticidas economicamente mais acessíveis do mercado, disponíveis em supermercados e lojas de animais, possuem geralmente uma substância que é altamente tóxica para os gatos: a PERMETRINA. Mas as embalagens não alertam para o perigo de usar permetrina em gatos ou ao pé de gatos.

Por anunciarem no rótulo que não têm cheiro nem mancham, muitas vezes os donos usam estes insecticidas nas camas dos animais, carpetes e tapetes, sem terem o devido cuidado de retirar os gatos do ambiente até o produto secar totalmente. A permetrina é absorvida pela pele e pode conduzir à morte do gato por intoxicação.

Leia atentamente os rótulos antes de comprar um insecticida e se a composição indicar permetrina, mesmo em baixa concentração, não use o produto ao pé de gatos. Só pode usá-lo se puder retirar os gatos do ambiente e deixar o produto secar totalmente antes de deixar o gato andar nas superfícies tratadas com a permetrina.

Os primeiros sintomas de intoxicação por permetrina começam geralmente entre uma e três horas depois da exposição ou contacto do gato com a substância tóxica. Os mais frequentes e visíveis são convulsões e espasmos, tremores, hipersalivação (babar), ataxia (falta de coordenação dos movimentos e desequilíbrio), pupilas dilatadas, hipertermia (temperatura alta, febre), taquicardia (coração acelerado), vómitos, letargia (estado de sonolência, apatia, entorpecimento), desorientação, hipotermia (baixa temperatura), ansiedade e arritmia cardíaca (batimentos irregulares do coração). Os casos com sintomas mais graves, que resultam de maior exposição ao veneno ou atingem gatos mais frágeis ou jovens, incluem diarreia, cegueira temporária, paragem respiratória, cabeça inclinada, alopécia (peladas, perda de pêlo), lacrimejo (muitas lágrimas), alucinações (o gato pode apresentar um estado de pânico), taquipneia (respiração muito rápida, ofegante), retenção urinária, cianose (língua, gengivas e mucosas azuladas ou mesmo azuis) e dispneia (falta de ar, dificuldade em respirar).

NUNCA use coleiras e outros produtos para pulgas destinados a cães em gatos, pois contêm geralmente permetrina e em doses fatais para os gatos. A permetrina não atinge os cães, mas sim os gatos.

Em caso de acidente, lave imediatamente e abundantemente o gato com água quase fria (nunca use água quente, pois aumenta a absorção do produto através da pele), contacte uma urgência veterinária, siga as instruções e leve imediatamente o gato ao veterinário mais próximo.

Se tem gatos, decore este nome: PERMETRINA. 

Agradecimentos: Dra. Carla Guerra, Clínica Veterinária Refúgio da Bicharada (www.refugiodabicharada.com) – Urgência 91 920 15 13 (Carcavelos)

AUTOR: Filomena Marta

Publicado em: 
6 Junho, 2013
Categoria: 
1444 leituras