Parla-mente à portuguesa

O Parlamento mente? Não é a primeira vez que questões importantes são consecutivamente adiadas. Desta vez, o importantíssimo e inadiável diploma que criminaliza os maus tratos a animais foi adiado, pela segunda vez. Deveria ter sido votado no dia 3, passou para dia 10 e agora é despudoradamente empurrado com a barriga para dia 25 (na melhor das hipóteses!).

Petição

Por incrível que possa parecer (e é!) há quem não concorde com este diploma e até mesmo quem se oponha. Calculamos, portanto, que sejam aqueles que ou não gostam mesmo de animais, ou gostam de dar umas boas pauladas ao cão lá de casa. Explicação diferente, em pleno século XXI, é impossível. Os que se abstêm são, certamente, umas lesmas desprovidas de sistema nervoso central. São os tais que nos dão a certeza de que nem todos os seres à face do Planeta são sencientes.

Não devemos escrever irados, sai-nos geralmente macabra a escrita e há uma tentação irreprimível para o insulto. Mas devemos mesmo “chamar os bois pelos nomes”, como diz, e muito bem, a voz do povo. Neste caso é mau insultar os pobres bois, criaturas íntegras, ao contrário de tantos bípedes que por aí pululam. Há algumas bestas-quadradas envolvidas no entrave deste diploma, tão importante e tão desmesuradamente tardio. O que estas criaturas mal-amanhadas que gostam de brincar à política parecem desconhecer é que estão a brincar com vidas.

O CDS decidiu “pedir tempo” para analisar o texto de substituição entregue esta semana. Tempo que o cão que foi açaimado, amarrado, atado a uma pedra e atirado à água para um afogamento macabro não teve! Acharão porventura normal esta situação os senhores do CDS? Acharão que não é um crime? Achariam igualmente que não seria crime se em vez do cão tivesse sido um idoso, uma criança, um sem-abrigo? O problema poderá residir no facto de se acharem superiores a um cão. Mas serão? Não será um cão mais fiável?

Este processo arrasta-se desde Novembro de 2013 (enfim, arrasta-se desde a fundação de Portugal, mas isso já é outra guerra!) no Parlamento. Já então, a votação destas iniciativas de criminalização dos maus tratos a animais tinha divido bancadas. Como se não fosse um assunto de flagrante unanimidade! Pelos vistos, para além da tal gente inculta e feroz para quem um animal é menos ainda do que uma “coisa”, há no nosso Parlamento, na Casa da Democracia, na casa que representa Portugal, gente de mente igualmente distorcida, tirando os acéfalos que preferem abster-se, num “não confirmo, nem desminto”. Gente que não se compromete nem se quer comprometer, seja qual for a gravidade da questão. Estar de bem com Deus e com o Diabo é apanágio de gente que puxa lustro a sapatos com a ponta da língua.

Em Dezembro de 2013 a bancada do CDS-PP estava dividida, e havia liberdade de voto! Agora, vem de novo o CDS dizer que “ah e tal” temos dúvidas. Vamos a contas e a dizer quem é quem nesta história.

Votos a favor do diploma em 2013:

  • PS
  • PSD
  • Bloco de Esquerda
  • PEV
  • João Rebelo, deputado do CDS-PP.

Votos contra o diploma em 2013:

  • Raúl Almeida, Margarida Neto, Abel Baptista e José Lino Ramos – todos do CDS.

Abstenções:

  • PSD – no projecto-lei do PS
  • PCP
  • e todos os restantes deputados do CDS no caso do projecto-lei do PS, e dos deputados centristas Nuno Magalhães, Artur Rego, Michael Seufert, Cecília Meireles e Isabel Galriça Neto no caso do projecto-lei do PSD.

Num tema urgente e premente como é o da criminalização dos maus tratos aos animais, brinca-se à política num total desrespeito pela vida. Às portas da pior época de abandono de animais, o CDS acha que o assunto pode esperar. Mas não, senhores, não pode! Já espera há demasiados anos e há demasiadas mortes e há demasiados maus tratos e espancamentos!

O que quer o CDS com tanta posição contra os maus-tratos a animais? Quer porventura que nos lembremos que quem não é bom com os animais não pode, seguramente, ser bom com as pessoas…?

Aqui ficam algumas frases de grandes Homens, não são de deputadozinhos mixurucas, para lembrar o CDS que a Vida e a Morte estão a acontecer enquanto brincam aos políticos. Aprendam, de uma vez por todas!

  • “Virá o dia em que a matança de um animal será considerada crime tanto quanto o assassinato de um Homem.”, Leonardo da Vinci (considerado o maior génio da História)
  • “A grandeza de uma Nação e o seu progresso moral podem ser avaliados pelo modo como os seus animais são tratados.”, Mahatma Gandhi
  • “A compaixão pelos animais está intimamente ligada à bondade de carácter e pode ser seguramente afirmado que quem é cruel com os animais não pode ser um bom Homem.”, Arthur Schopenhauer, filósofo
  • “O destino dos animais é muito mais importante para mim do que o medo de parecer ridículo.”, Émile Zola, escritor
  • “Eu sou a favor dos Direitos Animais bem como dos Direitos Humanos. Essa é a proposta de um Ser Humano integral.”, Abraham Lincoln
  • “Tome partido. A neutralidade ajuda o opressor, nunca a vítima. O silêncio encoraja o torturador, nunca o torturado.”, Elie Wiesel, sobrevivente do Holocausto
  • “Quando o Homem aprender a respeitar até o menor ser da Criação, ninguém precisará de o ensinar a amar o seu semelhante.”, Albert Schweitzer, pensador e Prémio Nobel da Paz de 1952
  • “A compaixão para com os animais é das mais nobres virtudes da natureza humana.”, Charles Darwin

​Isto é o que acontece enquanto o CDS anda entretido a “pensar” e a brincar à politiquice.

Isto é o que acontece enquanto o PCP olha para o lado e assobia, abstendo-se numa questão de tamanha importância.

Isto é o que acontece e cujos assassinos ficam sem castigo.

Isto é crime! Isto é acto de criminosos! Ou será assim tão difícil entender isso?

Leia e assine a Petição:

«Justiça e condenação para o dono do cão de raça Pitbull que o atirou a uma lagoa, açaimado e amarrado a uma pedra para que se afogasse.» no endereço

http://peticaopublica.com/pview.aspx?pi=PT74025

AUTOR: Filomena Marta

Publicado em: 
11 Julho, 2014
Categoria: 
479 leituras