Desabafos

“Odeio pobre!”

Sempre achei graça à rábula de um grande humorista brasileiro dos anos de 1980 que contava assim: “Todos os dias acordo, me olho no espelho e digo: odeio pobre!” Isto é ele a falar dele próprio e muitas vezes, no convívio com amigos e a talhe de foice de conversas sobre a crise, uso esta rábula para me descrever. Mas uma coisa é o humor, essa arma saudável para brincar com assuntos sérios, delicados ou tristes, outra coisa é ler, preto no branco, tiradas aberrantes de ditos “colunistas” da... ler mais
AUTOR: Filomena Marta | 7 Janeiro, 2013
Nº de Leituras: 226

Páginas