Desabafos

Dá licença que respire…?!

Dá licença que respire…?! Por Filomena Marta Sete da manhã. A hora a que o meu dia começa, todos os dias, e felizmente a hora a que o “meu” cafezinho abre também. Ao fim de tantos anos, sou mais amiga do que cliente e ganhei o direito a fazer de determinada mesa um posto de trabalho, ao computador, antes de começar a guerra diária. É nessa mesa que escrevo estas linhas.
AUTOR: Filomena Marta | 6 Outubro, 2016
Nº de Leituras: 588
O triunfo dos... estultos

O triunfo dos… estultos

Que o jornalismo está pela “hora da morte” em Portugal começa a não ser novidade para muitos. Pelo menos para aqueles que não vivem de “casas dos segredos” e Companhias Limitadas. Aliás, bastante limitadas no que toca a inteligência, sem com isto querer parecer sectária ou elitista. Bem… confesso que talvez um pouco elitista, pois que sou um “nadinha” alérgica a estultos. Aliás, é meu hábito assumir que prefiro a porcaria à estupidez, porque a porcaria limpa-se. Para... ler mais
AUTOR: Filomena Marta | 9 Outubro, 2015
Nº de Leituras: 1,320
José Rodrigues dos Santos

Está tudo doido? Ou o “não-caso” de José Rodrigues dos Santos

Poderíamos chamar-lhe simplesmente excesso de zelo por parte de uma faixa de população que desatou em histeria a vergastar o jornalista e pivot José Rodrigues dos Santos, por um “não-erro” durante a apresentação de uma notícia. Mas o que realmente acontece é que temos um “não-caso” para o jornalista e talvez um caso de loucura colectiva nas redes sociais e de alguns comentadores de bancada. Quem me conhece sabe bem que não me escuso em zurzir nos jornalistas e Imprensa em geral quando acho... ler mais
AUTOR: Filomena Marta | 9 Outubro, 2015
Nº de Leituras: 1,015
O Futuro é Hoje

O Futuro é Hoje

A vida não somos só nós, a vida não é o “eu”, a Vida é o que acontece à nossa volta enquanto estamos distraídos com o nosso umbigo. Ao contrário do que alguns “life coachers” (que nome bonito!) ensinam, a vida não é “eu”, não é sermos felizes “porque sim”. Um “life coacher” de 60 anos até admito que tenha coisas para ensinar. Um “treinador de vida” que já viveu o suficiente para ter visto muito, para ter conhecido... ler mais
AUTOR: Filomena Marta | 11 Julho, 2014
Nº de Leituras: 458
A herança de Noé

A herança de Noé

Ausências forçadas por cansaço, aquele cansaço emocional que nos drena força anímica, que nos leva a colocar em causa tudo e todos, a verdade e a esperança. Esta ausência da escrita que dura há já demasiado tempo e me fez abandonar a minha alma, esta modesta “percepção da alma” dita tão pomposamente “Anima Sentiens”. Um cansaço também do reincidentemente triste panorama do meu país, de políticos sem alma, de jogos de poder obscuros num tabuleiro onde se... ler mais
AUTOR: Filomena Marta | 6 Maio, 2014
Nº de Leituras: 457
Este Portugalzinho de amiguinhos e amigalhaços

Este Portugalzinho de amiguinhos e amigalhaços

Já foi muito mais difícil irritar-me do que hoje em dia. Fruto da idade, talvez, mas também fruto das mais variadas injustiças que tenho observado ao longo da vida. Há quem discorde da minha defesa do “factor sorte”, quem ache que o sucesso é feito de trabalho e engenho, mas nada pode ser mais falso do que isso, e tenho sentido na pele a injustiça. Pior, tenho sentido na pele o roubo descarado de ideias e já são três as ideias brilhantemente roubadas. A primeira foi já há muitos anos, por uma... ler mais
AUTOR: Filomena Marta | 20 Janeiro, 2014
Nº de Leituras: 420
Conversas de gato

Conversas de gato

Geralmente os gatos comunicam silenciosamente entre si, apenas por contacto visual e linguagem corporal. Os sons usados entre eles são normalmente de aviso, como o silvo (conhecido por “bufar”) e o rosnado, um som de intensidade baixa e ameaçador, e o grito, usado por medo, dor ou para intimidar um adversário, geralmente ouvido em lutas entre gatos. A vocalização dos gatos inclui o lamento, usado também durante o cio como chamamento para o acasalamento.
AUTOR: Filomena Marta | 29 Novembro, 2013
Nº de Leituras: 859

Era uma vez um povo...

Poderia dizer-se que era um povo bom, mas não era. Era um povo manso. Um povo que aguentava paulada, que gemia, que aqui e ali dizia um “ai”, mas pouco mais. Há uma diferença entre a mansidão e a bondade. Porque a bondade pode até ser violenta. A bondade de defendermos alguém, de defendermos direitos universais, daqueles direitos que não nos atingem apenas a nós, tornando altruísta a nossa acção, ou reacção. Depois, há alguns. Há alguns dentro de um povo manso que decidem ser... ler mais
AUTOR: Filomena Marta | 22 Novembro, 2013
Nº de Leituras: 407
A compaixão aprende-se

A compaixão aprende-se

Desejarmos bem aos outros, sermos bondosos, ser generoso, ser altruísta, ser humano, ter compaixão, tudo isto são coisas que se aprendem. Podemos, realmente, tornar-nos melhores Seres Humanos. Só temos de querer. Claro que tudo isto começa na educação. Filhos de pais humanos, generosos e compassivos têm maiores probabilidades de se tornarem bons humanos também. Treinar uma criança a ser bondosa irá dar ao mundo mais uma semente de mudança. Mas a educação não é tudo e cada um de n... ler mais
AUTOR: Filomena Marta | 1 Novembro, 2013
Nº de Leituras: 487

Um post-scriptum aos Direitos (ou não) dos Animais

Uma amiga chamou-me à atenção, e muito bem, por uma falha na minha crónica “Sobre os Direitos (ou não) dos Animais” (http://www.animasentiens.com/index.php?option=com_content&view=article&i...). Trata-se de um sequência lógica e absolutamente verdadeira à declaração de Constança Cunha e Sá, de que “os animais não têm direitos, se não têm deveres não podem ter direitos”. Não defendi os deveres que os animais realmente têm todos os... ler mais
AUTOR: Filomena Marta | 1 Novembro, 2013
Nº de Leituras: 321

Páginas