O beija-mão à rainha

Acertou em quase tudo, mas infelizmente este “quase” estraga a festa. O que é de estranhar é que a Presidência da República deve ter, com certeza, especialistas em etiqueta e protocolo. Ninguém ensinou o nosso Presidente sobre o beija-mão? Para mais tratando-se de uma, agora, rainha?

Cavaco Silva beija a mão à rainha

A rainha sorriu, por educação ou condescendência é um mistério.

O primeiro erro cometido foi o facto de o beija-mão ter ocorrido num local descoberto, num local público, quando apenas deve ser efectuado em locais cobertos e reservados. O movimento de agarrar a mão da rainha com as duas mãos é admissível, como demonstração de especial afecto… mas “pregar-lhe um xôxo” é que já não. Os lábios do homem devem sempre permanecer junto à mão da senhora, mas sem lhe tocar.

Não vi a cerimónia do cumprimento, pelo que desconheço se foi Letizia a elevar a mão ou se foi Cavaco Silva a elevá-la. Se foi Letizia, o que me admira porque se tratava de um local público e deve ter sido muito bem treinada na etiqueta real, o nosso Presidente deveria ter feito apenas um inclinar de cabeça como cumprimento e simulação de beija-mão. Se foi Cavaco Silva a erguer a mão da senhora, ademais rainha, algo de errado se passa no reino de Belém. Muito errado, a julgar pela fotografia captada, que regista um valente beijo na mão da rainha.

Mas pronto, é assim… ou se trata de modernices ou por cá somos muito plebeus.

AUTOR: Filomena Marta

Publicado em: 
14 Julho, 2014
Categoria: 
860 leituras