SENCIENTE:

1. adj. 2 gén. que tem sensações; sensível.
(Lat. sentiente) in Dicionário da língua Portuguesa, Editora, 5ª edição
2. adj. que sente; que tem sensações.
(Lat. sentiens ) in Dicionário Cândido de Figueiredo, 1913

SENCIÊNCIA:

Senciência é a "capacidade de sofrer ou sentir prazer ou felicidade". [1]
[1] SINGER, Peter. Vida ética: os melhores ensaios do mais polémico filósofo da actualidade.
Rio de Janeiro: Ediouro, 2002. ISBN 850001055X. P. 54
Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Ainda não foi criado nenhum conteúdo para a página inicial.

Dá licença que respire…?!

Quinta, 6 de Outubro, 2016

Dá licença que respire…?!
Por Filomena Marta

Sete da manhã. A hora a que o meu dia começa, todos os dias, e felizmente a hora a que o “meu” cafezinho abre também. Ao fim de tantos anos, sou mais amiga do que cliente e ganhei o direito a fazer de determinada mesa um posto de trabalho, ao computador, antes de começar a guerra diária. É nessa mesa que escrevo estas linhas.

A guerra diária é a passagem pelo Inferno para se abrir um negócio em Portugal. Chamam-lhe pomposamente “criação de próprio emprego”, mas sem uma elevada dose de inteligência, determinação, paciência, murros na mesa e gritos, é uma tarefa praticamente impossível. A “Mission Impossible” de Tom Cruise, comparada com isto, é uma brincadeira de crianças.
Lembra-se da história do “papel, qual papel, o papel”? Pois é, por cá falta sempre um papel! São meses e meses em que falta sempre mais um papel. De tudo e mais um par de botas.

AUTOR: Filomena Marta

Carta aberta a Miguel Sousa Tavares

Segunda, 16 de Maio, 2016

Carta Aberta a Miguel Sousa Tavares

Carta aberta a Miguel Sousa Tavares

por Filomena Marta

 

Exmo Senhor Dr. Miguel Sousa Tavares

Palavras suas: “(…) até ver, um homem não tem necessariamente de ser um burro. Mas alguns tentam (..)” ... e devo eu dizer que conseguem mesmo!

Aqui “o problema” não é “quando conseguem”, porque está provado que conseguem, sem desprimor para as dóceis criaturas, que valem mais do que muitos doutores.

Escreveu Vossa Excelência mais uma crónica que prova muitas coisas. Gostaria de poder dizer-lho pessoalmente, cara a cara, albarda contra capa, porque me apraz mais um bom burro do que um mau doutor. Portanto, antes de iniciar qualquer consideração deixo-lhe de imediato o repto: aceite um debate.

AUTOR: Filomena Marta

Pela boca morre o peixe…

Terça, 19 de Abril, 2016

Pela boca morre o peixe...

Pela boca morre o peixe…

por Filomena Marta

 

Uma imagem vale mais do que mil palavras, dizem. Se calhar com toda a razão…

O que aqui está em causa não tem nada a ver com a imagem do antigo Presidente da República, mas a legenda é tão boa! Tão adequada.

Nada a temer. Porque los hay, los hay.

Andei a pensar em que raio de categoria ia colocar esta crónica especialmente dedicada a essa figura chamada Miguel Sousa Tavares. Pois que los hay

Escreveu recentemente a figura uma série de alarvidades no Expresso que não sei bem onde encaixar. Não é sociedade, muito menos política, mas como o tema são animais, atendendo à propriamente dita decidi colocar na categoria “animais”. Ainda pensei na “desabafos”, mas isto não é um desabafo, é a constatação de um facto. Que los hay

Mas afinal o que diz a b… criatura?

AUTOR: Filomena Marta